MAPA QOS
A Autoridade Reguladora das Comunicações – INCM, avaliou, entre os dias 1 e 3 de Janeiro corrente, a qualidade de serviços prestados pelos operadores de telefonia móvel celular na zona metropolitana de Maputo, tendo constatado uma satisfação do fluxo de dados, e um incumprimento no tempo de estabelecimento das chamadas de voz nas redes 2G e 3G. A realização desta actividade resulta do facto de constituir um dos momentos de maior demanda dos serviços das comunicações.

O respectivo relatório de aferição de qualidade de Serviço já está disponível na página web do INCM e pode ser assessado attavés do link https://www.incm.gov.mz/index.php/mercado/qualidade-de-servico/244-relatorio-de-afericao-de-qualidade-de-servico-quadra-festiva-janeiro-2022

A referida aferição de qualidade de serviço foi realizada nas Cidades de Maputo e Matola, distritos de Marracuene e Boane e nas vias de ligação destas cidades, período da transição do ano, segundo havia anunciado o Presidente do Conselho de Administração, durante conferência de Imprensa realizada no dia 28 de Dezembro de 2021.

No referido período, em termos do indicador “tempo de estabelecimento das chamadas” de voz, nas redes 2G e 3G, o regulador concluiu que a qualidade baixou, considerando as metas estabelecidas.

Em relação ao indicador taxa de transferência de dados (Data Throughput), que corresponde a velocidade de transferência de dados, para a rede 3G, todas operadoras cumpriram com as metas estabelecidas, enquanto que para rede 4G a Vodacom afigura-se no topo com 38.4 Mbps, seguido da Tmcel com 6.93 Mbps e, por fim a Movitel com 4.98 Mbps.

Em relação a distribuição do nível do sinal de rádio, verifica-se uma fraca cobertura para a rede 4G ao longo da rota, atingindo apenas 53% para Vodacom, 34% para Tmcel e 30 % para Movitel, no nível de classificação “boa”. No entanto, para as redes 2G e 3G os operadores conseguiram atingir níveis de “boa” cobertura acima de 70%.

Esta actividade permitiu a obtenção de informação sobre o nível de cobertura geográfica e qualidade dos serviços praticados nas tecnologias 2G(GSM), 3G(UMTS) e 4G(LTE), simultaneamente para todos os operadores de telefonia móvel celular, na perspetiva de um utilizador comum.

De referir que, durante a durante a conferência de Imprensa, realizada no dia 30 de Dezembro de 2021, a Autoridade Reguladora das Comunicações INCM, informou que realizaria esta campanha.  Estas actividades são realizadas no âmbito das atribuições do regulador, de acordo com o artigo 10 do Decreto n° 6/2011, de 3 de Maio, que aprova o Regulamento sobre Qualidade de Serviços Públicos de Telecomunicações.

Está disponível o primeiro Relatório de Aferição de Qualidade de Serviço (QoS) nas telecomunicações, publicado pelo Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM), autoridade que regula o sector das comunicações no país.

O mesmo resulta de uma análise feita durante o ano 2021, e avalia o desempenho das operadoras de telefonia móvel celular no país e pode ser baixado na página através do link https://www.incm.gov.mz/index.php/mercado/qualidade-de-servico/242-relatorio-de-afericao-de-qualidade-de-servico-2021-1

Os dados publicados foram obtidos por meio de testes de campo e em movimento, nas Cidades de Maputo, Matola (de 16 de Março a 13 de Abril de 2021), Lichinga, Cuamba, Vila de Mandimba, no Município de Metangula (de 13 a 29 de Junho de 2021) e nas cidades da Beira, Dondo, Chimoio e Manica (de 1 a 13 de Outubro de 2021).

A campanha de testes foi realizada com recursos a sistema tecnológico, na perspetiva de um utilizador comum, usando equipamentos terminais comerciais, garantindo desta forma a obtenção de resultados em condições iguais e em simultâneo para todos os três operadores de telefonia móvel celular (Tmcel, Vodacom e Movitel), possibilitando a obtenção de informação sobre o nível de cobertura geográfica e qualidade dos serviços praticados nas tecnologias 2G, 3G e 4G.

REGULADOR PREOCUPADO COM A QUALIDADE DE SERVIÇO

Segundo o Relatório sobre Qualidade de Serviço prestado pelos operadores de telefonia móvel, é notório o incumprimento do tempo de estabelecimento de chamadas para todos operadores.  Esta realidade que, segundo o Regulador, tem afectado a qualidade da acessibilidade dos serviços de voz no país.

De acordo com o estudo, todos os operadores (Tmcel, Vodacom e Movitel) apresentam um bom desempenho no que respeita aos serviços de voz, embora com excepção de algumas zonas, cuja percentagem de sucesso, no estabelecimento das chamadas, se encontre abaixo da meta. Outro dado a registar, é que os operadores apresentam tempos de incumprimento no estabelecimento das chamadas os quais variam de 4,27s a 23.98s para 2G e 4.27s a 22.27s para 3G.

No capítulo da cobertura, o documento aponta que os operadores apresentam uma boa cobertura do sinal rádio na rede GSM (2G), tanto nas zonas urbanas bem como nos distritos testados. No entanto, aponta o estudo, que o nível do sinal vai diminuído à medida que se vai evoluíndo para as tecnologias 3G e 4G, chegando a atingir níveis de cobertura inexistente quando saímos das cidades. A tecnologia 4G é a mais predominante nas zonas urbanas, sendo que a Tmcel figura como a única operadora que apresenta cobertura 4G somente nas Cidades de Maputo e Matola, não cumprindo assim com as metas de cobertura em 4G.

Sobre os serviços de dados, o estudo aponta um cumprimento da meta da taxa de transmissão de ficheiros na rede 3G tanto nas zonas urbanas como nas zonas rurais variando de 1137 Kbps a 6022 Kbps com o destaque para a Vodacom que, no Município de Dondo, atingiu 6022 Kbps. Para a tecnologia 4G a taxa de transferência de ficheiros para download varia de 1.4 Mbps a 42.16 Mbps.

As amostras usadas para elaboração deste relatório foram colhidas em rotas pré-definidas, selecionadas de modo a reflectir a distribuição dos subscritores em diferentes localizações, - zonas comerciais, residenciais, de lazer e diversão).

De concreto, a pesquisa levada a cabo pelo INCM visava essencialmente analisar, numa perspetiva de utilizador, os níveis de qualidade de serviço praticados pelos operadores dos serviços móveis de telecomunicações, nas tecnologias 2G/3G/4G, através da realização de testes automáticos extremo-a-extremo; verificar o nível de cobertura do sinal de rádio para as tecnologias GSM, UMTS e LTE; e manter disponível a informação sobre os níveis de qualidade de serviço praticados pelos operadores de telefonia móvel celular de forma a oferecer aos utilizadores a possibilidade de escolha do operador e serviço pretendido.

Realçar que o INCM continuará a realizar estas campanhas em todas províncias do país, no quadro dos esforços para melhoria da qualidade de serviços prestados aos subscritores de telefonia móvel, em cumprimento do estabelecido no Regulamento sobre Qualidade de Serviços de Telecomunicações.

CAPA RELATORIO 2020Está disponível o Relatório de Regulação das Comunicações 2020. O acesso ao documento é livre e gratuito. O mesmo pode ser acedido e baixado na página institucional do INCM através do link https://www.incm.gov.mz/index.php/sala-de-imprensa/postal-2/240-relatorio-de-regulacao-das-comunicacoes-2020/file

As leis nº 1/2016, de 7 de Janeiro (Lei do Sector Postal) e nº 4/2016, de 3 de Junho (Lei das Telecomunicações), respectivamente, estabelecem o dever de disponibilização de informação ao público sobre matérias do sector das comunicações.

CLICK aqui para aceder ao link directo do Relatório

PCA CONFERENCIA WEB

O Presidente do Conselho de Adminsitração (PCA) do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM), Tuaha Mote, declarou, em conferência de imprensa realizada no dia 30 de Dezembro corrente, que, a partir do ano de 2022 o Regulador pasará a publicar relatórios sobre a aferição da qualidade de serviço de telecomunicações.

“Estamos aqui para defender o interesse do cidadão, dos consumidores. Como instituição, já estamos a criar e a reforçar a nossa capacidade institucional, quer tecnológica, quer administrativa, para dar resposta às preocupações sobre a qualidade de serviço”, disse o PCA aos jornalistas.

A aferição da Qualidade de Serviços (QoS) no sector das comunicações constitui uma das grandes preocupações do Regulador, operadores, bem como dos consumidores. Para a satisfação destas preocupações, a Autoridade Reguladora das Comunicações–INCM tem desencadeado, nesse âmbito, acções, visando garantir a melhoria dos serviços prestados ao cidadão.

No quadro das suas competências e atribuições, em conformidade com o Art.º nº 10, do Decreto n.º 6/2011, de 3 de Maio, que aprova o Regulamento sobre

Qualidade de Serviços Públicos de Telecomunicações, o INCM realizou, de Março a Outubro de 2021, uma campanha de aferição de qualidade de serviço prestado pelos operadores de telefonia móvel celular (Tmcel, Vodacom e Movitel), em diversos pontos do país.Os testes foram realizados com recurso a um sistema automático instalado em uma viatura, equipada com dispositivos terminais, que garantem que os mesmos testes do género sejam efectuados em simultâneo e em igualdade de condições para todos os operadores de telefonia móvel celular. A medição foi feita nas redes 2G, 3G e 4G, em termos de cobertura de voz e dados. O Regulador reuniu com os três operadores de telefonia móvel celular e deu a conhecer os resultados dos testes de aferição, objectivando uma análise conjunta.

O Conselho de Administração (CA) do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique– INCM nomeou, a 13 de Dezembro corrente, em despachos separados, quadros para diferentes cargos de chefia, no âmbito da restruturação. Um novo estatuto orgânico e regulamento Interno regem o funcionamento do INCM.

Dos nomeados, fazem parte, entre outros, directores de serviço, chefes de gabinete e de departamento, e delegados provinciais. Massingue Apala, anteriormente director Postal e de Telecomunicações, passa a director de Serviços de Comunicações; Martins Langa, que cessou como director de Radiocomunicações e Tecnologias, passa a director de Serviços de Radiocomunicações e Fiscalização; Hilário Tamele e Euridce Camila Sequeira foram nomeados assessor e secretária do Conselho de Administração, respectivamente; Margarida Pereira vai chefiar Gabinete Jurídico.

Jamilo lmpasso cessa como delegado provincial na Zambézia e passa a chefiar o Departamento de Aquisições. Entretanto, Edgar Machava, que antes era delegado provincial em Inhambane, foi nomeado Chefe do Departamento de Fiscalização.

Maria Mónica Levy cessou como chefe de Repartição de Formação e passa a chefiar o Departamento de Recursos humanos, em substituição de Mário Nihatxamana. Cesaltina Noa cessa como chefe do Departamento de Planificação e Estatísticas para liderar o Departamento (ex-Gabinete) de Comunicação e Imagem, em substituição de Edmundo Manhiça. Salomão David vai chefiar o Departamento de Estudos, Desenvolvimento e Estatísticas e, Rénis Machavana, o Departamento (ex-Gabinete) de Sistemas de Informação.

Nelson Solomone vai chefiar o Departamento de Finanças e Património; Joaquim Zindoga, o Departamento de Telecomunicações, e Luís Cumaio, o Departamento de Gestão de Frequências. Edmundo Alberto vai lidera o Departamento de Comprovação Técnica e Qualidade de Serviços e Pedro Chaquice o Departamento de Licenciamento.

Armando Almoço foi nomeado chefe de Departamento Postal, em substituição da Adriana Pedro Rafael, lsaías Muanambane, do Departamento de Cooperação Internacional; Celso Xerinda, do Departamento de Planificação e Desenvolvimento Organizacional; Dalila Morais, do Departamento de Protecção do Consumidor; Eda de Jesus foi nomeada delegada provincial na Zambézia, em substituição de Jamilo Impasso; Dilária Gulela foi nomeada delegada provincial em Inhambane, em substituição de Edgar Machava.

Ainda no âmbito das novas nomeações, Afonso Madivadua Júnior vai chefiar a Repartição de Qualidade de Serviços, recentemente criada; Benildo Paunde, a Repartição de Radiocomunicações, Francisco Fernandes Júnior, a Repartição de Radiodifusão, e Euclides dos Santos, a Repartição de Gestão e Formação de Pessoal.

Valter Lopes e Augusto Moamba foram nomeados para chefiar as repartições de Património e de Finanças, respectivamente, cargos que vinham exercendo até ao momento. Miceles Chemane foi nomeado para chefiar a repartição de Infra-estruturas e Segurança; Habiba Amade, para a Repartição da Secretaria Central.

Onde estamos

Praça 16 de Junho nr. 340
Bairro da Malanga, 848 Maputo

mapa

Organizações Internacionais e Regionais

Outros Reguladores

Siga-nos:

fbinstlkdn

Contacto

Sede: +258 21 227100

Cell: +258 82 328 3850 / +258 84 398 5951

Email: info@incm.gov.mz

Praça 16 de Junho nr. 340 - Bairro da Malanga, 848 Maputo